Empresas têm buscado cada vez mais escalabilidade, ou seja, conseguir manter ou melhorar seus resultados e sua eficiência diante de demandas crescentes.

A escalabilidade nos negócios permite a redução de custos e o aumento do lucro, além disso, torna a empresa mais atraente aos investidores e também aos consumidores devido aos custos reduzidos e contínua melhoria nos produtos.

Para que empresas possam crescer de maneira sustentável é necessário que exista preparo e capacidade de adaptabilidade diante das tantas mudanças.

Quando falamos em mudanças contínuas que ocorrem no mundo, conceitos como mundo VUCA, mundo BANI ou de antifragilidade emergem, afinal, tem sido cada vez mais desafiador lidar com tantas e inesperadas transformações.

Empresas se veem diante da necessidade de um crescimento saudável que não interfira no esgotamento de mão de obra e tampouco nos recursos financeiros.

Exemplos de negócios escaláveis

Existem inúmeros exemplos de escalabilidade, de empresas que englobam os maiores players do mercado, como é o caso da Netflix e da Amazon Prime. Estes streamings de vídeo optam pelo modelo de assinatura, também conhecido como on-demand.

Netflix e a Amazon Prime oferecem seus filmes e séries para o mundo todo por valores acessíveis, conquistando milhões de assinantes.

Uma característica interessante é que o investimento para novas produções e aquisições de títulos renomados não aumenta na mesma velocidade dos assinantes, o que torna essas empresas exemplos de escalabilidade.

Outro bom exemplo é o da Google, uma empresa que conseguiu atrair, segundo dados recentes, cerca de dois bilhões de clientes ao redor do mundo, alcançados de forma rápida e, em contrapartida, seus gastos para atender esses clientes não aumentaram na mesma proporção, ou seja, mais um grande exemplo de negócio escalável.

Basicamente a escalabilidade quer dizer adicionar gastos na mesma proporção em que se adiciona receita.

À frente da MORCONE Consultoria Empresarial, foi desenvolvida uma consultoria nos moldes das grandes empresas, mas com potencial de adaptação para as micro, pequenas e médias empresas nos mais diversos segmentos de negócio, como: industrial, comercial e prestação de serviços.

Tendo orientado gestores no caminho do sucesso e sustentabilidade empresarial, trago neste artigo alguns insights sobre escalabilidade nos negócios e de como ter alto resultado econômico e financeiro para o empresário, acionista , stakeholder e, claro, para a sociedade na qual o negócio está inserido.

Na busca pela escalabilidade nos negócios – por onde começar?

Para escalar uma empresa, é necessário contar com importantes pilares, como: flexibilidade e agilidade; padronização das operações e inovação constante.

O que torna um negócio escalável são três características:

  • Potencial de venda em larga escala;
  • Replicabilidade da empresa;
  • Soluções inovadoras.

Imagine que um gestor investiu na abertura de uma startup de tecnologia, sendo este um modelo altamente concorrido, ele está na busca por diferenciais, tem uma equipe de profissionais talentosos, porém, sua empresa ainda não consegue fluir em métodos ágeis e a mentalidade das lideranças é resistente às mudanças.

Para a escalabilidade nos negócios será necessário encarar uma jornada de transformação, desde uma maior flexibilidade até a incorporação desses modelos ágeis em suas estruturas. Falhar é inevitável, mas o que caracteriza negócios escaláveis é a capacidade de mudar estratégias rapidamente.

Uma vez que a organização é identificada como escalável, ou seja, com grande capacidade de expansão, a jornada se inicia, passando por importantes pilares.

Plano de sucessão de carreiras

Um dos critérios para a escalabilidade é conseguir replicar os processos de produção para todos os profissionais da empresa, ou seja, facilmente funções podem ser trocadas sem que se perca a produtividade.

Além disso, o processo de onboarding ou de integração de novos profissionais se torna muito ágil, já que todas as etapas foram devidamente planejadas.

Quando uma organização investe em capacitação, seus profissionais sentem-se mais valorizados e isso os motiva a performar melhor com qualidade.

Gestão do conhecimento

Esse tópico está alinhado ao anterior. A contínua renovação de conhecimentos é essencial, portanto, investir em treinamentos e em especialização aos profissionais que compõem a equipe é muito importante.

Novamente utilizando como exemplo a empresa de tecnologia. Se for um caso em que esteja ocorrendo o desenvolvimento de novo software e a organização precise que seu time domine técnicas de atendimento ao cliente, pode ser promovida uma capacitação de equipe.

E essa será mais uma potência da empresa, já que toda a equipe estará preparada para um melhor atendimento e, além disso, quando todos são capacitados, não ocorre “desfalque” no negócio, caso alguns profissionais, por exemplo, saiam de férias.

Soluções de Cloud Computing

Empresas de qualquer segmento e porte têm se rendido a soluções cloud para garantir sua escalabilidade, essa é uma característica econômica, ágil e totalmente adaptável às mudanças.

Os processos são otimizados, além de ser um recurso muito importante para a segurança das informações da empresa.

Análise de cenários

A escalabilidade de negócios também está ligada à análise de diferentes cenários, o que é um instrumento fundamental para tomadas de decisão mais assertivas.

É preciso simular diferentes contextos, por exemplo, vamos supor que uma empresa tenha operações no Brasil, Estados Unidos e Espanha, será preciso ter um panorama econômico, considerando possíveis cenários, como aumento do dólar, euro, etc.

Dentre as projeções de cenários, estão:

  • Cenários estratégicos, que se referem a simulações comparando diversos caminhos que a empresa poderia traçar;
  • Cenários econômicos, que se refere à análise das alterações nas variáveis que podem impactar os resultados econômicos da empresa (DRE);
  • Cenários orçamentários, que são projeções considerando alternativas para a utilização dos recursos financeiros da organização;
  • Cenários operacionais, ligados a projeções e simulações, levando-se em conta diversas alternativas de uso da capacidade produtiva da empresa;
  • Cenários financeiros, semelhantes aos econômicos, com simulações de alterações nas variáveis que incidem nas disponibilidades financeiras da organização, com exemplo do fluxo de caixa.

Governança Corporativa – essencial se o desejo é a escalabilidade

A governança corporativa é imprescindível para alinhar as perspectivas entre as lideranças na organização, inclusive, para que a escalabilidade possa ser vivenciada na prática.

Estudo realizado pela KPMG em 2020 (Retratos de Família 2018 – 2019) mostrou que boas práticas de governança eram consideradas importantes para 85% das empresas familiares na gestão dos seus negócios.

Todos os envolvidos na empresa: sócios, investidores, herdeiros, gestores e demais stakeholders responsáveis pela tomada de decisões, precisam ser guiados para o mesmo propósito.

E uma das importantes atribuições da governança é auxiliar na estruturação e sistematização de processos. Vale ressaltar que quando se fala em processo, estamos falando em eficiência, escalabilidade e controle de qualidade; na criação de estratégias de médio e longo prazo; no gerenciamento de riscos e sua incorporação no planejamento estratégico, dentre outros fatores.

Um dos primeiros passos quando se identifica o perfil de escalabilidade é a implementação de uma governança sólida e, para isso, contar com o apoio de um conselheiro consultivo externo é indicado para melhor direcionar os sócios na organização.

O papel do conselheiro no direcionamento às empresas é bem diferente da atuação como consultor, já que está próximo ao dia a dia da empresa, mas não tão próximo para que não perca a visão abrangente das diferentes áreas do negócio.

Pode-se pensar que o conselheiro é o profissional responsável por cuidar do futuro da empresa e ajudá-la a construir ou realinhar recursos a fim de que alcance seus objetivos.

Em minha atuação como conselheiro consultivo, meu papel está em aferir o desempenho da empresa no dia a dia, ou seja, os indicadores de performance da gestão, em que advisors ou conselheiros poderão dar seu parecer se os “sinais vitais” da organização estão bem.

Além disso, também é fundamental analisar a qualidade pela qual o resultado da empresa está sendo atingido, porque de nada valerá ter uma organização com um futuro promissor, ótimo desempenho, mas cujo ambiente é tóxico, com alto índice de rotatividade.

Resumindo, a escalabilidade nos negócios depende de inúmeros fatores: do momento em que a organização se encontra; se existe potencial para ser escalável; de quais serão os recursos que deverão ser desenvolvidos para que se alcance esses objetivos, dentre tantos outros.

A escalabilidade é um dos seus objetivos? Vamos construir essa jornada juntos.

Gostou do conteúdo? Compartilhe. Lembre-se que na MORCONE Consultoria Empresarial pensamos em cada parte do seu negócio, utilizando metodologias e práticas inteligentes. Acompanhe o trabalho do consultor, Carlos Moreira, também no LinkedIn.

Veja também:

Está pensando na transição para a carreira de conselheiro? Saiba por onde começar

Estudo mostra principais caminhos para o sucesso da empresa familiar