Já auxiliei muitas empresas ensinando os princípios da gestão fiscal, que para muitos, pode até parecer algo simples de entender, mas que na prática, leva muitos empresários ao erro.

Atuando como gestor de empresas há mais de 35 anos e como consultor na MORCONE Consultoria Empresarial, compartilho com você, empresário (a), dicas que podem ser muito valiosas para a sua empresa.

Entendendo sobre a gestão fiscal

Já prestei consultoria a muitos empresários que sequer pensavam que uma boa gestão fiscal poderia trazer bons resultados para a gestão financeira no geral do negócio.

Sabemos que o Brasil é um dos países mais burocráticos para se ter uma empresa, mas ainda assim, é possível conseguir tirar bom proveito disso… Você só pode estar de brincadeira, Carlos! Não, meu amigo, não estou.

A gestão fiscal tem como principal objetivo ajudar a empresa a trilhar os melhores caminhos quando se trata de exigências tributárias da legislação brasileira e é responsável pelos seguintes itens:

  • Escrituração fiscal;
  • Obrigações tributárias;
  • Pagamento de impostos.

A gestão fiscal é uma maneira eficaz de ajudar a sua empresa a encontrar a melhor forma de tributação: Lucro Real, Presumido ou Simples Nacional.

Mas, além disso, também é muito importante para evitar o impacto de tributos que sejam desnecessários na receita do negócio, como: erro na emissão de NFs, loops burocráticos, mudanças na legislação, entre outros.

Você também precisa entender que a gestão fiscal é importante para que o seu negócio esteja de acordo com as leis ou com as exigências da legislação tributária.

Será preciso cumprir com as obrigações tributárias acessórias, que envolvem o processo de emissão de documentos fiscais, escrituração fiscal (como já mencionei) e entrega de declarações de informações ao Fisco.

E também será necessário cumprir a obrigação tributária principal que envolve o pagamento dos tributos.

Então, só para reforçar na sua memória, as obrigações se dividem em duas categorias:

Obrigação principal: está ligada à apuração e pagamento dos tributos como taxas, impostos e contribuições.

Obrigações acessórias: se refere à emissão de documentos fiscais (notas fiscais); escrituração destes documentos fiscais, além da entrega de uma série de declarações exigidas pelo Fisco.

Muitas empresas estão perdendo dinheiro porque não se atentam à boa gestão fiscal

Em meus atendimentos já aconteceu muitas vezes de, ao analisar os processos na empresa, perceber que passaram anos enquadradas de forma equivocada, o que gerava um aumento de imposto.

O que é o enquadramento equivocado?

É quando, por exemplo, a empresa está enquadrada há muito tempo em Lucro Real e tinha requisitos para estar no Simples Nacional, o que diminuiria expressivamente a carga tributária, podendo até resultar em tirar as finanças da empresa do negativo.

Obrigações fiscais é uma realidade das empresas brasileiras, mas pode ser algo mais “leve” na rotina do negócio

Ah, mas a tributação é só uma maneira de fazer a minha empresa perder dinheiro! Este costuma ser um pensamento muito comum entre empresários, mas afirmo que também pode ser uma crença limitante que está impedindo o seu negócio de prosperar no mercado.

Quais são as boas influências da boa gestão? Separei algumas vantagens com base nos atendimentos que já realizei e em minha experiência como gestor e consultor.

Sua empresa se torna mais assertiva na tomada de decisões

Quando o seu negócio está aplicando a gestão fiscal, isso confere um autoconhecimento sobre qual a situação tributária em todas as frentes.

O empresário consegue fazer planejamentos mais realistas, assim como projetar o seu crescimento levando em conta os tributos de acordo com a sua realidade. Lembra do enquadramento que acabei de mencionar? Este pode ser o caminho inicial para colocar a ordem na casa.

Economia

Obrigações fundamentais sempre pagas e recolhidas dentro do prazo também refletem em economia.

E assumir um padrão na gestão financeira é uma necessidade para manter o fluxo de caixa equilibrado e com saldo positivo.

Otimizando o tempo

Boas práticas de gestão fiscal bastam? Não. É preciso pensar sempre do ponto de vista da produtividade.

Atualmente há muitas ferramentas que podem ajudar na boa gestão tributária, como softwares que cumprem a função de automatizar tarefas repetitivas, como é o caso da emissão de notas fiscais, por exemplo, e com isso economizam o tempo.

Quero me adequar à legislação e fazer uma boa gestão fiscal. Começar por onde?

Uma vez que você compreende a importância da implementação da gestão fiscal, é o momento de torná-la parte da realidade da sua empresa. Como?

Mantenha sua empresa dentro da legislação

É muito comum que empresários desconheçam a legislação fiscal em seu mercado de atuação, principalmente no que se refere às suas atividades primárias e secundárias.

Existem importantes e diferentes tributos que devem ser pagos (ou o imposto MEI), assim como obrigações acessórias exigidas, entre outras atribuições presentes no regime tributário.

Então é preciso que domine essa área, que será uma importante base de como deve calcular os seus impostos.

É preciso ter um planejamento fiscal

Com esse planejamento, o empresário pode ter uma visão ampla do seu calendário de obrigações e das tributações que já foram pagas e aquelas que ainda não.

A gestão fiscal também é parte da gestão financeira, afinal, ela impacta diretamente no caixa do negócio!

Como estão os processos no seu negócio?

Processos representam a força que move todos os segmentos de negócios e ter uma organização é mais do que importante. Documentos fiscais, ordens de serviços, contas a pagar e a receber, estoque, etc.

A organização também impacta positivamente na melhor produtividade da empresa, além de ser parte importante na gestão financeira.

Preciso da ajuda de um especialista?

Se o seu negócio não possui uma gestão fiscal e se sente perdido quanto aos processos que envolvem o cumprimento da legislação tributária, considere sim buscar ajuda.

O especialista irá apontar tudo o que precisará ser realizado para que a sua empresa esteja dentro das normas.

Por experiência, já atendi muitas empresas que estavam confusas e que já tinham perdido muito dinheiro por não estarem enquadradas corretamente ou por não terem uma gestão fiscal que fosse eficiente.

E por fim, outra razão muito importante para que todo empresário se preocupe com a gestão fiscal é a confiabilidade que gera, o que abre portas e ajuda no processo de crescimento no mercado.

Seu negócio está perdido sobre como fazer a gestão fiscal? Mude isso agora mesmo.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe. Lembre-se que na MORCONE Consultoria Empresarial pensamos em cada parte do seu negócio, utilizando metodologias e práticas inteligentes.

Veja também:

Tem uma empresa familiar? Evite esses erros comuns

Mentoria e aconselhamento empresarial – Quando a empresa precisa?