O assunto ESG foi de grande destaque em 2021 e tende a continuar sendo um dos temas principais de debates entre as organizações nos próximos anos.

Desde 2015 à frente da MORCONE Consultoria Empresarial e com mais de 35 anos no mundo corporativo, hoje trago um artigo sobre a importância de fortalecer a pauta ESG nos conselhos de administração (CA).

Governança corporativa não é apenas um tema em minha trajetória, é um importante pilar em minha atuação no mercado business e, como consultor, tenho sido responsável por implementar a governança corporativa em empresas de diversos segmentos e portes.

O conceito ESG (Environmental, Social and Governance) representa uma importante resposta das organizações diante dos desafios enfrentados pela sociedade contemporânea.

Representa uma preocupação quanto a questões ambientais, sociais e de governança e é como uma maneira de que as empresas respondam ao mundo sobre suas responsabilidades e comprometimento com o mercado, consumidores, fornecedores, colaboradores e seus investidores.

Agenda ESG nos Conselhos

Nunca se falou tanto sobre a adoção de boas práticas ambientais, sociais e de governança como nos últimos anos e, claro, grande parte da visibilidade deste tema é reforçada pelo contexto pandêmico vivenciado no mundo.

A pauta ESG tem tido cada vez mais atenção por parte de investidores, conselhos de administração e das altas lideranças das empresas.

O mais importante inicialmente é que os conselhos de administração contem com uma pluralidade de ideias e experiências, para que consigam agregar cada vez mais valor a urgências que têm surgido como é o caso da pauta ESG no mundo corporativo.

Segundo a publicação de 2020, realizada pela PwC, cabe ao CA, o estímulo à ação e atenção à pauta ESG, de como pode afetar a empresa. Segundo a Pesquisa Anual de Diretores Corporativos (2019), diretores podem não enxergar claramente a importância do assunto, por exemplo, enquanto quase todas as empresas têm sido e serão ainda mais impactadas por mudanças ambientais, 46% dos diretores não acreditam que mudanças climáticas tenham papel muito importante estrategicamente.

Outro destaque da pesquisa é o de que, enquanto muitas organizações têm consciência quanto aos crescentes problemas de desigualdade de renda, 58% dos diretores acreditam que o assunto não terá grande repercussão estrategicamente.

O conselho de administração tem a importante função de trazer à pauta temas relevantes como é o caso do conceito ESG, de maneira que a alta gestão sinta-se impelida a levar essas questões a sério e como estratégias.

Será preciso cada vez mais apontar as tendências ambientais e sociais que terão influência a curto, médio e longo prazo no cenário corporativo.

Investidores têm olhado cada vez mais para uma vivência organizacional coerente com aquilo que se prega. A pauta ESG nos conselhos é fundamental porque auxilia a empresa em uma compreensão e na adoção de sistemas de controle e procedimentos que visem o apoio e vivência do conceito ESG.

Muitas empresas no Brasil já entenderam essa importância

Muitas organizações brasileiras já entraram no ‘radar’ dos investidores com pauta ESG nos conselhos, atendendo a essa nova demanda no mundo empresarial, que reflete no mercado financeiro e no valor das ações.

A diferença entre ESG e o conceito de sustentabilidade que já existia é que este último acabou se tornando em uma prática meramente “ilustrativa”, já o conceito ESG, que também engloba questões em torno da sustentabilidade chama as organizações a vivenciarem realmente aquilo que estão pregando.

Empresas de qualquer segmento e porte podem contar com uma boa governança, que englobe o conselho de administração tratando do conceito ESG, garantindo que seja colocado em prática desde os colaboradores à alta gestão.

Devido à pandemia, muitas organizações despertaram para a sua atuação social, ainda mais no cenário em que muitas pessoas estavam com medo de perder os seus empregos e renda.

O fato de muitas empresas que optaram, por exemplo, em não demitir pessoas, mesmo em cenário conturbado também refletia a pauta ESG, afinal se mostrava a preocupação com as questões sociais e de governança, principalmente referente à valorização de pessoas.

Essa preocupação com questões sociais é uma realidade que tende a se tornar cada vez mais marcante no mundo corporativo, como uma expressão de sua cultura empresarial.

A pauta ESG nos conselhos se fortalecerá ainda mais em 2022 e nos próximos anos. Empresas que têm o plano de expandir suas operações precisam estar cada vez mais atentas à sua atuação e em como são vistas pelos públicos de interesse.

Não apenas investidores, mas também consumidores têm optado cada vez mais por produtos/serviços que tenham por trás de sua existência uma preocupação social latente.

Defendo essa pauta nos conselhos como uma maneira de que as empresas também possam se fortalecer enquanto marca, tornando-se uma rede de inspiração umas às outras.

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe. Lembre-se que na MORCONE Consultoria Empresarial pensamos em cada parte do seu negócio, utilizando metodologias e práticas inteligentes.

Veja também:

Transparência e Sustentabilidade fortalecidas pelo ESG – Entenda

Governança no ESG é a principal base para o cumprimento dos pilares Social e Meio Ambiente